Ultrassom e mudanças nos cuidados baseados em valores

May 01, 2017

Pode ser difícil lidar com a incerteza – especialmente na economia, no governo ou na saúde. Combine um pouco de incerteza em Washington D.C. e na comunidade médica e você terá uma janela para 2017, um momento em que o futuro da lei de saúde acessível e do setor de saúde está em curso.

Há esperança? Acreditamos que sim. O ano de 2017 apresenta uma oportunidade para os profissionais de saúde avaliarem como tecnologias como o ultrassom podem resolver seus problemas. Ao expandir o uso do ultrassom, acreditamos que os prestadores de serviços podem atrair mais pacientes, aumentar o nível de satisfação dos pacientes e reduzir os custos.

Os melhores resultados do paciente e pacientes mais felizes são a marca distintiva do que chamamos de "cuidados baseados em valores". Para aqueles que não ouviram muito sobre os cuidados de saúde baseados em valores, veja como Aetna descreve:

"Os cuidados baseados em valores estão surgindo como uma solução para enfrentar o aumento dos custos dos cuidados de saúde, a ineficiência clínica e a duplicação de serviços e para facilitar o acesso das pessoas aos cuidados de que precisam. Em modelos baseados em valores, os médicos e os hospitais são pagos por ajudar a manter as pessoas saudáveis e melhorar a saúde daqueles que têm condições crônicas com base em evidências e de maneira econômica."

Isso é uma alternativa à tradicional abordagem de taxa de serviço. Com a taxa de serviço, médicos e hospitais são pagos com base na quantidade de serviços de saúde que oferecem, como testes e procedimentos. O pagamento geralmente não está relacionado com a melhora da saúde dos pacientes.

Por que a tecnologia de ultrassom está bem posicionada em um sistema de saúde com base em valores? Porque a ultrassonografia fornece respostas rápidas, seguras e eficientes que os médicos podem usar para tomar decisões mais rápidas sobre as opções de tratamento de seus pacientes. O ultrassom, principalmente o ultrassom no local de atendimento, é mais eficaz e econômico que o raio-X, a tomografia ou a ressonância magnética.

A utilização do ultrassom foi debatida em um estudo do departamento de emergência do Mass General em Boston e da universidade de Washington, em Seattle. As pesquisas queriam entender se o ultrassom no local de atendimento mostrava uma maior satisfação do paciente, talvez como consequência do menor tempo de diagnóstico e de internação.

A descobertas do estudo mostraram que os pacientes de emergência que experimentaram a varredura de ultrassonografia no leito registraram taxas de satisfação muito maiores com os cuidados do departamento de emergência, com os testes diagnósticos e com a impressão que tiveram do médico de emergência. Os autores do estudo acreditam que o ultrassom no local de atendimento tem o potencial de acelerar os cuidados e o diagnóstico, ao mesmo tempo em que melhora a satisfação do paciente e a relação entre paciente e médico1. Uma vez que as pesquisas de satisfação dos pacientes desempenham um papel cada vez mais importante no gerenciamento organizacional de cuidados de saúde, aumentar a felicidade global dos pacientes com relação a um prestador de serviço ou departamento é mais importante do que nunca.

 

Para administradores de hospitais, o assunto é tratado com seriedade quando entendem que clínicas e hospitais podem ver grandes reduções de custos no uso do ultrassom também no local de atendimento. Um exemplo disso é visto no estudo desenvolvido pelos médicos de emergência Dr. Arthur Au, Dr. Bon Ku e Dr. J. Matthew Fields. O estudo procurou entender se as linhas de cateter para pacientes com acesso intravenoso difícil poderiam ser substituídas por dispositivos periféricos guiados por ultrassom (USGPIVs)2.

A inserção da linha de cateter é um dos procedimentos invasivos de emergência mais comuns, com mais de 5 milhões de cateteres intravenosos (CVC) inseridos nos hospitais dos EUA todos os anos. Os procedimentos de inserção de cateter podem ter uma taxa de complicação de aproximadamente 15%, o que inclui a suscetibilidade à inflamação dos vasos sanguíneos relacionada ao cateter ou até mesmo á morte.
Os resultados do estudo mostraram que em 85 dos 100 casos (85%) os USGPIVs eliminaram a necessidade de inserção de cateteres em pacientes com acesso intravenoso difícil. Esses pacientes também não apresentaram complicações durante o período de acompanhamento. 

Os resultados deste estudo impulsionaram mudanças no hospital, que tornou padrão entre as práticas do departamento de emergência que os paciente com acesso intravenoso difícil passem por tentativas de inserção de cateter guiada por ultrassom antes da inserção do cateter intravenoso.

Quando se considera uma taxa de complicações de aproximadamente 15% para os procedimentos de cateterismo, o uso de USGPIVs poderia baixar as taxas para 2,25%. Isso é um aumento da segurança do paciente.

Com o custo de cada complicação de cateterismo variando entre aproximadamente US$ 15.000 e US$ 50.000, o maior uso de USGPIVs pode significar uma redução considerável nos gastos com os tratamentos de saúde do departamento de emergência. É um benefício até para o balanço final.

Os pacientes que chegam a um departamento de emergência e são tratados de maneira rápida e eficiente com o procedimento menos invasivo possível (e com o menor número de agulhas possível) terão taxas de satisfação mais elevadas do que os pacientes que sofreram um pneumotórax iatrogênico. É um aumento da satisfação dos pacientes.

Neste momento, muitos prestadores de serviço de saúde estão se sentindo inseguros quanto ao futuro da saúde no país. Mas o ultrassom no local de atendimento oferece uma solução valiosa para alguns dos desafios mais complexos que os cuidados de saúde enfrentam. A SonoSite acredita que os cuidados baseados em valores são bons para o setor de saúde e ainda melhor para os pacientes.

1. "Bedside ultrasound maximizes patient satisfaction."  2014 Jan;46(1):46-53. doi: 10.1016/j.jemermed.2013.05.044. Epub 2013 Aug 12.

2. "Ultrasound-Guided Internal Jugular Access: A Proposed Standardized Approach and Implications for Training and Practice" David Feller-Kopman, MD, FCCP, Chest. 2007;132(1):302-309. doi:10.1378/chest.06-2711

 

Como as inserções intravenosas guiadas por ultrassom podem reduzir as complicações e economizar dinheiro em seu hospital? 

Ao passar dos cuidados baseados em volume para os baseados em valores, os sistemas de saúde devem identificar maneiras de oferecer tratamento de saúde eficaz e de alta qualidade. A SonoSite entende que isso é imprescindível. Com o objetivo de aumentar a segurança dos pacientes, eliminar complicações e reduzir o número de tentativas, o SonoSite Solution, um programa abrangente e autoguiado para inserções mais seguras de cateteres, está disponível exclusivamente para os clientes SonoSite.

Compartilhar