Perfil POCUS: Dr. Ilyas Tugtekin

August 29, 2018

O Dr. Ilyas Tugtekin, especialista em anestesia no Centro Médico da Universidade de Ulm (em Baden-Württemberg, Alemanha), viaja para Kumasi, Gana, para ajudar a formar um centro de treinamento em ultrassom para médicos em toda a África Ocidental. 

Financiada pela Else Kröner-Fresenius Foundation – uma organização sem fins lucrativos dedicada a apoiar a pesquisa médica e projetos humanitários relacionados –, uma equipe de cinco especialistas passou uma semana no segundo maior hospital de Gana, o Hospital Universitário Komfo Anokye (KATH) em Kumasi, com 1.000 leitos, ensinando técnicas guiadas por ultrassom, incluindo bloqueios regionais de nervos com POCUS , para os médicos de toda a região. O Dr. Ilyas Tugtekin fala aqui sobre a experiência e o programa.

Os bloqueios regionais de nervos são ideais para uma variedade de procedimentos, de cirurgia de trauma à ortopedia. Um bloqueio regional pode ser usado como um procedimento independente na cirurgia ambulatorial ou em combinação com anestesia geral para proporcionar alívio da dor pós-operatória. A orientação do ultrassom é essencial para realizar uma anestesia local eficaz. Eu uso essa técnica em minha própria prática em casos de trauma e ortopedia, principalmente em cirurgia na mão, há mais de 12 anos.

 

Há cerca de 12 anos, dois médicos de Kumasi vieram a Ulm para realizar seu treinamento especializado em anestesia geral, que incluiu o uso de ultrassom no local de atendimento (POC) para guiar o acesso vascular e os bloqueios regionais. Não é surpreendente que eles tenham enxergado grande potencial no uso da orientação por ultrassom em seus hospitais em Gana. Kumasi é uma cidade grande, com uma população de mais de dois milhões, e, comparativamente, há grandes números de casos de trauma – resultantes de sistemas rodoviários e condições de trabalho inferiores –, e os pacientes são geralmente levados para o hospital pelos parentes ou de táxi.

A anestesia local e o acesso vascular guiados por ultrassom seriam extremamente benéficos para os médicos em um país em desenvolvimento, possibilitando procedimentos mais rápidos e seguros, com menor tempo de recuperação e menos complicações. Logo após seu retorno à Gana, visitei o KATH e realizei uma pequena oficina como ponto de partida. A maioria dos médicos na região está muito motivada, mas não há recursos para implementar essa tecnologia, então, juntamente com os nossos colegas em Kumasi, estávamos ansiosos para desenvolver um programa e um centro de ensino local de procedimentos guiados por ultrassom. Conseguimos obter o apoio da EKFS, que generosamente financiou a compra de dois sistemas robustos de ultrassom no local de atendimento para o KATH e o curso de treinamento para os médicos locais. Um grupo com cinco instrutores especialistas – eu, o Dr. Wolfgang Stahl e o Dr. Alexander Dinse de Ulm, o Dr. Oliver Vicent da Universidade de Dresden e o Dr. Gernot Gorsewski da Landeskrankenhaus Feldkirch, na Áustria.

A participação foi grande. Houve mais de 30 participantes, não só de Kumasi, mas também da capital de Gana, Acra e lugares mais distantes, incluindo médicos do Líbano, da Nigéria e de Camarões. Abrangemos uma variedade de procedimentos básicos guiados por ultrassom durante o curso, mas nos concentramos nos bloqueios regionais de nervos e no acesso venoso, uma vez que são essas as técnicas mais amplamente aplicáveis. O curso foi concebido para ser predominantemente um treinamento prático, não apenas palestras, então foi muito interativo. Os participantes puderam passar tempo se familiarizando com o uso dos instrumentos nas oficinas – encontrando os nervos em modelos vivos e realizando sozinhos as inserções em manequins –, e, em seguida, supervisionamos minuciosamente os bloqueios de nervos e o acesso vascular realizados por eles no hospital ao final do curso.

 

As técnicas de ultrassom que aprenderam durante o curso terão inúmeras possibilidades de aplicação em todo o hospital. Por exemplo, havia um médico no curso que estava muito interessado em cirurgia na mão, e a anestesia local possibilitará a muitos de seus pacientes ir para casa quase diretamente após o procedimento, exigindo menos cuidados no pós-operatório. Havia também vários médicos de emergência no curso, e, para eles, o acesso vascular guiado por ultrassom é extremamente útil; é muito mais seguro, mais rápido e mais eficaz, o que é um benefício enorme em um departamento muito ocupado e com poucos médicos.

Sem acesso aos sistemas de ultrassom POC adequados, essas habilidades recém-adquiridas seriam inúteis, então ficamos muito satisfeitos por poder deixar os sistemas de ultrassom que utilizamos durante o curso no KATH. O hospital precisava de instrumentos robustos e altamente portáteis que pudessem ser movidos pelos grandes quartos e usados na emergência. Isso aumentaria a eficácia de muitos procedimentos e, em última instância, possibilitaria à equipe tratar mais pacientes. Após o sucesso do curso, já esperamos retornar no ano que vem. Desde a minha primeira visita em 2008, o hospital já teve grandes melhorias, especialmente no departamento de emergência, onde agora usam o ultrassom POC para executar varreduras FAST e de pulmão buscando pneumotórax. Seria bom poder voltar e ajudá-los a desenvolver mais procedimentos usando ultrassom no diagnóstico.

Gana tem muita sorte de ter um dos melhores sistemas de educação em medicina da região, e o KATH atualmente tem cerca de 200 alunos de medicina começando seu treinamento. Eu e meus colegas estamos ansiosos para apresentar os benefícios dessa tecnologia à próxima geração de médicos.

Compartilhar