Histórias dos usuários: serviços de emergência de Madri e ultrassom portátil

February 27, 2017

Since point-of-care ultrasound systems were originally designed for dealing with emergencies in a battlefield setting, it's not surprising that ultrasound now plays a pivotal role in emergency vehicles around the world. Dr Ramón de Elías Hernandez, head of on-call doctors at SAMUR, Madrid’s municipal emergency service, describes the advantages that point-of-care ultrasound brings to his everyday life.

"I've been an ambulance doctor for the Servicio de Asistencia Municipal de Urgencia y Rescate (SAMUR) in Madrid for 20 years, 10 of those as head of on-call doctors. My day job is to attend patients, almost always healthy people who are just walking along the street and have an accident or are taken ill. At any time, there are two on-call doctors covering the city and going where they are most needed, usually for cases with more medical or organisational complexity.

"Every day, SAMUR has around 50 ambulances and all-terrain vehicles on stand-by, based at waiting centres in each of the 21 areas of Madrid, with up to 15 of these accompanied by a doctor. Ambulance crews are dispatched according to the seriousness of the incident, or geographical proximity, and operate under a ‘two-step’ system, where those first on the scene can assess the situation and request assistance from other teams if necessary. About 15 years ago, standard procedures were established for the different pathologies we encounter, including basic guidelines for diagnosis and treatment, which drugs to use and where to take the patient, etc. These procedures now include ultrasound, recommending when and how to use it and, for the last 10 years, we have held in-house training and annual refresher courses for all our doctors. All the vehicles are fully equipped with analytical equipment, including Sonosite point-of-care ultrasound systems, used constantly in a range of situations.

 

"Seja lá qual for a emergência, o tempo de ação é muito importante, por exemplo, para acidentes de trânsito graves em que o tempo de ação dentro de seis ou sete minutos dá às equipes uma chance maior de estabilizar os pacientes antes de os ferimentos progredirem muito. Utilizar o ultrassom nessa situação, especialmente para traumas torácicos e abdominais, ajuda a ganhar ainda mais tempo para os pacientes com ferimentos graves. O protocolo FAST elimina ou confirma o hemotórax, a hemorragia pericárdica e o sangue na cavidade abdominal e dita o próximo passo. Podemos avisar os hospitais sobre as condições dos pacientes com múltiplos ferimentos graves e informar por rádio quando estão instáveis, demonstrando sinais de sangramento e instabilidade hemodinâmica para que possam ser levados às pressas diretamente para a cirurgia. Claro, ainda temos técnicas mais tradicionais de exames normais como tocar, sentir e ouvir, mas o ultrassom nos possibilita ver sem dúvidas o que está acontecendo e utilizamos ele não apenas para diagnosticar, mas também para prevenir complicações, como a utilização do M-mode para detectar um pneumotórax secundário escondido. Outra das muitas possibilidades que o ultrassom nos oferece agora na medicina fora dos hospitais é a de guiar a cateterização venosa central ou periférica, que é um procedimento importante que realizamos em muitos pacientes. O ultrassom também está se tornando cada vez mais importante para casos de paradas cardiorrespiratórias. Podemos ver perfeitamente se um coração está contraindo devidamente ou se parou completamente e direcionar a massagem cardíaca e monitorar o pulso com muito mais eficácia em uma situação de parada cardíaca. Nosso protocolo também inclui fazer o ultrassom cardíaco para eliminar a hemorragia pericardíaca antes da fibrinólise no caso de infarto agudo do miocárdio.

"Ter o ultrassom no local de atendimento disponível em nossas ambulâncias é uma ótima vantagemque nos ajuda a tratar os pacientes em circunstâncias complicadas e que causa um efeito em nossos pacientes também. É uma tecnologia não invasiva e inofensiva que dá mais segurança a pacientes e médicos em situações estressantes. Também tem um bom custo-benefício já que, após o investimento inicial, não são incorridos custos adicionais. Os sistemas SonoSite que temos são resistentes e ideais para situações adversas nas quais às vezes os sistemas podem ser deixados no chão ou até mesmo na chuva e sofrer pancadas e, mesmo assim, todos os sistemas que compramos há anos atrás ainda funcionam perfeitamente. Os instrumentos são fáceis de manusear, estão sempre melhorando e eu realmente espero ver mais deles em muitos ambientes de saúde, não somente para o tratamento de emergência."

Saiba mais sobre o ultrassom em configurações de medicina de emergência 

As equipes dos serviços de emergência precisam de ferramentas confiáveis para ajudar os pacientes nas condições mais dramáticas que se pode imaginar. Por mais de uma década, os primeiros socorristas vêm utilizando os sistemas de ultrassom confiáveis e leves da SonoSite para a triagem e o diagnóstico no local de atendimento em situações de emergência. Saiba mais sobre a variedade de produtos personalizados que a SonoSite pode oferecer para os serviços de emergência médica

Compartilhar