Fujifilm SonoSite e Partners HealthCare lançam a iniciativa de inteligência artificial

July 31, 2019

A FUJIFILM SonoSite, Inc. anunciou o lançamento de um relacionamento estratégico com a Partners Healthcare para aplicar a inteligência artificial (IA) às aplicações de POCUS. As duas empresas colaborarão para usar modelos baseados em IA que ajudarão médicos no diagnóstico e aumentarão a qualidade do tratamento. A colaboração será executada por meio do MGH & BWH Center for Clinical Data Science e aproveitará os ativos de dados abrangentes, a infraestrutura computacional e a competência clínica do sistema da Partners HealthCare.

Rich Fabian, Presidente e Diretor Operacional da FUJIFILM SonoSite, Inc. disse sobre o novo empreendimento: "É um orgulho oferecer a nossos clientes a tecnologia avançada com IA para aumentar a utilização do ultrassom, aumentando a qualidade do atendimento que podem oferecer e economizando dinheiro no sistema de saúde."

O Dr. Diku Mandavia, Vice-Presidente Sênior e Diretor Médico da FUJIFILM SonoSite, Inc. aguarda com expectativa as inovações promovidas pela parceria.

"Esta colaboração está realmente focada na incorporação da IA ao ultrassom portátil com o objetivo de fornecer assistência na interpretação da imagem 2D junto com o tipo de automação que nos permitirá aumentar a acessibilidade dessa tecnologia crítica e, ao mesmo tempo, oferecer alto valor de diagnóstico."

Em um artigo de maio de 2019 postado pela POCUS Certification Academy, o Dr. Victor Rao expressou sua visão sobre a fusão da IA com o POCUS, que abordou os avanços mencionados pelo Dr. Mandavia. Dr. Rao começa pelas áreas de experiência e treinamento. Para se tornar um especialista em POCUS, você precisa ter a mentalidade "a prática leva à perfeição", explica Dr. Rao:

"O ultrassom é uma modalidade prática, o que significa que é preciso fazer varreduras frequentes para se tornar mais eficiente na varredura de pacientes, além de varrer pacientes difíceis ou desafiadores cuja anatomia não é tão fácil de visualizar com um ultrassom devido ao habitus corporal ou a alguma deformação."

É aí que entra a tecnologia de IA. A IA pode ajudar novos usuários do POCUS, guiando-os na aquisição do tipo certo de imagens. Aprendizes podem aproveitar os recursos da IA para ajudá-los a reconhecer doenças possivelmente fatais, auxiliar no alinhamento da sonda e obter os próximos passos no gerenciamento do paciente. O Dr. Rao acredita que essa assistência incentivará os usuários do POCUS a aprender mais. A tecnologia de IA também pode tornar a análise do usuário do POCUS muito mais eficiente, pela comparação rápida de milhares de varreduras dos registros passados do paciente. O Dr. Rao descreve esta inovação:

"Não é preciso ter tanta experiência para conseguir detectar qual é a fração de ejeção do coração do paciente. O componente de IA pode comparar as imagens e os loops de vídeo do paciente com milhares ou até mesmo centenas de milhares de outros dados de pacientes para auxiliá-lo a chegar a uma opinião."

O Dr. Rao vê a otimização da imagem do ultrassom como outra área na qual a IA tem um papel fundamental. A tecnologia de IA pode garantir os níveis certos de brilho ou escuridão da imagem, assim como ajustar o controle de profundidade ou informar o usuário de que a profundidade precisa ser corrigida. As imagens ideais são essenciais para diagnosticar corretamente e não deixar passar nenhuma informação crucial.

Mas, mesmo com essas melhorias tecnológicas, a junção da IA ao POCUS não eliminará a necessidade de termos médicos profissionais. Por exemplo, algumas doenças são atípicas, então talvez não haja dados suficientes para a IA identificar uma doença rara. Um médico com conhecimento de anatomia, patologia e fisiologia sempre será necessário para realizar os procedimentos de POCUS e a IA depende de usuários de ultrassom humanos para gerar os dados que ela utiliza. Além disso, a IA não pode substituir a conexão humana de que todos os pacientes precisam. Os pacientes sempre esperarão ter e dependerão da empatia e do conhecimento de seus prestadores de serviços de saúde.

Os médicos devem adotar a tecnologia de IA para prestar o melhor tratamento possível a seus pacientes. "Permitir uma integração ainda maior do ultrassom ao nosso sistema de prestação de serviços de saúde requer máquinas mais inteligentes", diz Keith Dreyer, Diretor de Ciência de Dados da Partners HealthCare. "Em situações de emergência, a eficiência e a economia do ultrassom portátil o tornam preferível em comparação a outras modalidades de imagem."

Compartilhar