Eliminação total do pneumotórax iatrogênico com POCUS

Eliminação das complicações por pneumotórax iatrogênico

O respeitado Sistema de Saúde Memorial Hermann eliminou as complicações por pneumotórax iatrogênico durante um ano. Saiba como eles conseguiram fazer isso em vários de seus hospitais e em oito de seus departamentos de emergência hospitalar comunitários. 

Melhoria da qualidade do atendimento e segurança do paciente com economia de dinheiro

Vários estudos comprovaram que a orientação por ultrassom melhora a taxa de êxito e a segurança de procedimentos invasivos, incluindo cateteres venosos centrais, parecentese e toracocentese. Evitar complicações não só é bom para o tratamento do paciente, como também reduz o custo geral do tratamento em hospitais. Um estudo recente conduzido pela United BioSource Corporation (UBC) comprovou essa redução de custos. Dois estudos recentes, apresentados no Encontro Anual de 2011 da National Patient Safety Foundation (NPSF), constataram economias significativas ao usar a orientação por ultrassom como parte do percurso de atendimento. Como os maiores estudos dessa categoria, eles examinaram a paracentese e toracocentese e descobriram menos complicações no grupo guiado pelo ultrassom, além de economias significativas. Por exemplo, um único caso de pneumotórax iatrogênico aumentou os custos hospitalares em mais de US$ 2.700 e um único caso de complicação por hemorragia durante uma paracentese aumentou os custos hospitalares em mais de US$ 20 mil. Além disso, ambos os grupos com complicações tiveram internações hospitalares significativamente mais longas. Leia mais abaixo sobre os benefícios econômicos e de segurança de pacientes que receberam tratamento guiado por ultrassom para paracentese e toracocentese.

Evidências mostram que a orientação por ultrassom reduz a paracentese e a toracocentese

A orientação por ultrassom em tempo real melhora significativamente o êxito de procedimentos na primeira tentativa e aumenta a segurança do paciente em uma série de procedimentos com agulhas, incluindo cateteres centrais, paracentese e toracocentese.

Complicações da paracentese: hemorragia, hematoma e hemoperitônio

Risco de hemorragia, hematoma e hemoperitônio com e sem orientação por ultrassom para paracentese

      Orientação por ultrassom Sem orientação por ultrassom


Custos de hospitalização com e sem complicações de hemorragia iatrogênica, hematoma, hemoperitôneo

      Sem complicações Com complicações


Duração da internação hospitalar (dias) com e sem complicações de hemorragia, hematoma, hemoperitôneo

      Sem complicações Com complicações

Para 69.859 pacientes que passaram por paracentese, sofrer uma complicação por hemorragia aumentaram os custos hospitalares em cerca de US$ 30 mil, aproximadamente o triplo do custo para pacientes sem uma complicação (US$ 9.476) e a duração da internação hospitalar quase dobrou, de uma média de 5,2 dias para um paciente sem complicação de hemorragia para uma média de 9,5 dias para um paciente com complicações. Leia o resumo da paracentese

Complicações da toracocentese: pneumotórax

Risco de pneumotórax iatrogênico com e sem orientação por ultrassom

      Orientação por ultrassom Sem orientação por ultrassom


Custos de hospitalização com e sem complicações de pneumotórax iatrogênico 

      Sem complicações Com complicações


Duração da internação hospitalar (dias) com e sem complicações de pneumotórax iatrogênico 

      Sem complicações Com complicações

Para 61.261 pacientes incluídos na análise que passaram por uma toracocentese, a orientação por ultrassom reduziu a incidência de pneumotórax em 19%. Essa complicação aumentou o custo hospitalar do paciente para US$ 13.784 em comparação a US$ 11.032 para pacientes que não tiveram pneumotórax. Além disso, a duração média da internação hospitalar foi de 7,9 dias para um paciente com pneumotórax e 6,5 dias para um paciente sem. Leia o resumo da toracocentese

Os Estudos, “Vantagens clínicas e econômicas da orientação por ultrassom entre pacientes com paracentese” (“Clinical and Economic Advantage of Ultrasound Guidance Among Patients Undergoing Paracentesis”) e “Vantagens clínicas e econômicas da orientação por ultrassom para pacientes com toracocentese” (“Clinical and Economic Advantage of Ultrasound Guidance Among Patients Undergoing Thoracentesis”) foram realizados para a Sonosite pela United BioSource Corporation (UBC), uma organização internacional em assuntos médicos e científicos. Pesquisadores do UBC Center for Epidemiology and Database Analytics usaram o Premier Perspective®, banco nacional de dados automatizado de pedidos de hospitalização, para acessar milhares de históricos de pacientes em mais de 600 hospitais de todo o país.

 

As recomendações são claras

Com base nas fortes evidências, várias organizações e sociedades governamentais apoiam o uso da orientação por ultrassom:

  • AHRQ – Agência de Pesquisa e Qualidade em Saúde
  • NICE – Instituto Nacional de Saúde e Excelência Clínica
  • CDC – Centros de Controle e Prevenção de Doenças
  • Faculdade Norte-Americana de Cirurgiões
  • Faculdade Norte-Americana de Médicos de Emergência
  • Faculdade Norte-Americana de Médicos do Peito
  • Comitê Norte-Americano de Medicina Interna
  • Associação de Acesso Vascular

 

Deixe-nos ajudar você a diminuir as complicações com a colocação de cateteres no seu hospital

A Sonosite está empenhada em oferecer atendimento de qualidade e colabora com hospitais para alcançar esse objetivo. Para facilitar o processo, a Sonosite criou o Programa de Gerenciamento de Cateteres Centrais. O programa baseado em evidências inclui recomendações da AHRQ, CDC e IHI e aborda as complicações mecânicas e infecciosas dos cateteres venosos centrais, permitindo diminuir:

A) Perfurações acidentais que causam pneumotórax, hemotórax ou lesão na carótida
B) Infecções no sangue associadas à inserção de cateter central (CLABSI)

 

Page Category: